Nova pagina 2

 

 
Nova pagina 2

Principal   

Quem somos   

Últimas notícias   

Eventos   

Notícias da Saúde   

Artigos da Saúde   

Notícias da Enfermagem   

Vestibulares   

Instituições de Ensino   

Cursos e capacitações   

Concursos em Destaque   

Calculadoras   

Links Interessantes   

Terminologias   

Pesquisas e Estudos   

Biblioteca Virtual   

Enfermagem   

Biológicas e da Saúde   

Pós-Graduação   

Idiomas   

Áreas de Atuação   

Conselhos   

Enfer. em Saúde Pública   

Enfermagem do Trabalho   

Artigos   

Monografias   

Teses e Dissertações   

Leis,   
Decretos e Resoluções   

Código de Ética   

 
Nova pagina 2
   | 1 enfermeiros on-line

Concursos!  

  Enfermagem em Saúde Pública
Judiciário cria fórum para tentar resolver problemas na área de saúde pública



Débora Zampier

Da Agência Brasil

 

Brasília - O Judiciário quer resolver com maior agilidade os conflitos que envolvem o fornecimento de medicamentos, os tratamentos e as internações, além de ações relativas ao Sistema Único de Saúde (SUS). Para tanto, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) lançou hoje (3) um fórum nacional para monitorar esses tipos de ações, que contará com a participação de diversos órgãos públicos e privados.

Segundo números da Advocacia-Geral da União (AGU), desde janeiro de 2005 até junho deste ano, a União responde por ações na área de saúde que somam R$ 202,7 milhões. O valor dos litígios tem aumentado consideravelmente de ano em ano e passou de R$ 2,4 milhões em 2005 para R$ 95,3 milhões em 2009.

Dados do Ministério da Saúde mostram que, entre 2003 e 2009, a pasta respondeu por a 5.323 processos judiciais somente por pedidos de medicamentos, o que representou um gasto de R$ 159,03 milhões. Os valores também vem aumentando ano a ano: apenas na compra de medicamentos por ações judiciais foram gastos R$ 171,6 mil em 2003 contra R$ 83,1 milhões em 2009.

Segundo o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, o fórum do CNJ “está promovendo uma contribuição inestimável à resolução dos problemas ocasionados pela judicialização da saúde”. Ele afirma que, na prática, a participação do ministério no fórum será marcada pelo diálogo permanente com os magistrados, médicos e com a população que procura medicamentos e procedimentos do SUS.

Além do aumento de ações voltadas à assistência em saúde, que estão sobrecarregando o SUS, outra preocupação do Ministério da Saúde são decisões que ordenam a compra de medicamentos que não estão registrados na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ou que ainda estão em caráter experimental.

Segundo o conselheiro Milton Nobre, responsável pela coordenação do fórum, as principais dificuldades que tentarão ser sanadas são a falta de informações prestadas aos magistrados sobre os problemas clínicos dos autores das ações; a excessiva concessão de provimentos judiciais de urgência, que estão sobrecarregando o SUS; e a necessidade de maior conhecimento técnico dos magistrados sobre questões de saúde.

 

 

Edição: João Carlos Rodrigues




 Este conteúdo foi visitado 1374 vezes.  

<< Voltar para a página anterior...
Livros - Submarino.com.br
Nova pagina 2

Nova pagina 2
 
 
 


Acompanhe nosso RRS

 

 

 
Nova pagina 2